Realidade virtual para o ensino da medicina: entenda os benefícios que essa tecnologia proporciona

11/09/2020

Assimilar os avanços tecnológicos, como a realidade virtual é de extrema importância para os médicos, pois a inovação pode ser implementada tanto para o exercício da profissão quanto para o ensino da medicina.

Por isso, neste post falaremos sobre essa experiência que pode ser tão valiosa quanto a real, mostrar como a realidade virtual para o ensino da medicina tem sido utilizada e quais vantagens ela oferece. Boa leitura!

 

Realidade Virtual x Realidade Virtual Aumentada

 

A realidade virtual (VR), se refere ao universo digital. É quando as imagens e sons ao seu redor são substituídos por conteúdo virtual, gerados e geridos por computador. Esse “ambiente falso”, feito com elementos gráficos, pode ser muito semelhante ao mundo real.

Ou seja, a realidade virtual é uma interface avançada, que permite um usuário usar, jogar ou ver algo. O intuito é recriar ao máximo as sensações de “realidade”, permitindo interação com objetos virtuais, em tempo real, sem conexão com o físico.

Em boa parte dos casos, seu uso está voltado para o entretenimento, porém, há muitas outras possibilidades para ele ser utilizado, como a realidade virtual para o ensino da medicina .

Já a realidade aumentada (AR), diz respeito ao mundo real. É quando você olha para um ambiente que existe e vê elementos sobrepostos, com informações e gráficos específicos de uma localização, por exemplo. Vale notar que isso não é a mesma coisa que usar um Google Glass, que apenas exibe informações diante dos seus olhos sem vincular isso com dados de locais ou fazer com que sejam relevantes naquele espaço.

 

Realidade Virtual Mista

Como você já deve ter imaginado, e o próprio nome sugere, o termo realidade mista (MR), descreve a tecnologia que combina a sobreposição da realidade aumentada no mundo real com a capacidade da realidade virtual de inserir elementos gráficos e digitais sobre a tela de visualização.

Esse conceito largamente usado pela Microsoft, já dá alguns exemplos de como é possível unir os dois universos na área da saúde, por exemplo, em cirurgias como duas equipes remotas ou durante aulas.

 

Benefícios que a Realidade virtual oferece para o ensino da medicina 

 

A medicina é uma das áreas que mais está sofrendo transformações com a realidade virtual. Os médicos residentes, por exemplo, já podem treinar cirurgias de forma imersiva para que tenham maior segurança ao realizarem os procedimentos em cenários reais. Eles também podem acompanhar ao vivo uma cirurgia sendo feita, sem precisar disputar espaço na sala, nem ter que ficar olhando por cima dos ombros do médico responsável.

Nos tratamentos, a imersão proporcionada pela realidade virtual para o ensino da medicina faz a diferença. A ideia de que a mente ajuda na recuperação é verdadeira. E acredite ou não, a VR pode ajudar. Muitos médicos já trocam o uso intensivo de medicamentos após uma cirurgia, por exemplo, pela imersão no ambiente virtual, que passa tranquilidade e paz para acalmar a mente.

Essa ideia é similar à técnica da hipnose. Contudo, os médicos podem aproveitar muitos outros recursos. Na Universidade de Stanford, por exemplo, foi criado um programa de VR para simular uma cirurgia endoscópica dos seios da face. Assim, os profissionais testam antecipadamente e ensaiam o procedimento para obterem melhores resultados.

A VR também vem sendo usada para tratar pacientes psiquiátricos, que podem encarar seus medos no ambiente virtual e quebrar padrões, ou aqueles que sofrem de estresse pós-traumático, especialmente os veteranos de guerra.

E, se você acha que realidade virtual é coisa do futuro, lembre que a Universidade do Sul da Califórnia mantém desde 1997 um programa que usa realidade virtual para tratar indivíduos com estresse pós-traumático.

 

Uma nova realidade no ensino da medicina

 

Se antes os videogames representavam apenas diversão, hoje tornaram-se uma ferramenta importante para a criação da realidade virtual aplicada em situações reais de treinamento profissional. 

A premiada startup brasileira, MedRoom, usa a realidade virtual para o auxílio no ensino de medicina, por exemplo. Ela desenvolveu um game de realidade virtual para estudantes e profissionais da área da saúde, simulando 25 procedimentos médicos diferentes que um graduado em medicina deve saber, como instrumentação, drenagem torácica, intubação orotraqueal, acesso venoso central, entre outros.

A empresa chegou para adicionar uma nova dimensão à educação médica, oferecendo o mais completo modelo do corpo humano em 3D do mundo, e usando a realidade virtual para possibilitar uma experiência mais profunda e interativa do aprendizado. 

Em seu laboratório de anatomia virtual os alunos podem estudar livremente o corpo humano, explorar cada estrutura, isolar órgãos e sistemas de uma maneira nunca antes vista. 

O objetivo principal é mudar o jeito de interagir com o ensino e investir nas tecnologias imersivas para melhorar a forma de aprender.

 

Agora que você conferiu os benefícios que essa tecnologia proporciona para o ensino da medicina, que tal continuar aprimorando seus conhecimentos? Leia sobre algumas formas de como essa tecnologia vai mudar o mundo.

 

Comentários