Telemedicina: Um guia dos primeiros passos para iniciar no atendimento remoto

22/09/2020

Como o próprio nome sugere, a Telemedicina refere-se ao atendimento remoto de pacientes, onde o profissional da saúde e o paciente encontram-se distantes fisicamente. A telemedicina, porém, não é regulamentada no Brasil e apenas foi permitida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e outros órgãos de saúde durante a pandemia que estamos vivendo.

O atendimento remoto, contudo, não precisa ser apenas uma consulta, mas também orientações a pacientes já atendidos pessoalmente, como no caso do tratamento de doenças crônicas, controle da medicação, dúvidas após um procedimento, entre outras possibilidades de interação. Esse contato pode ser feito de várias formas: troca de mensagens via WhatsApp, chamada de vídeo, vídeo chamada, entre outras tecnologias disponíveis.

 

Se você quer saber mais sobre como aplicar a Telemedicina na sua clínica, hospital, consultório, entre outros, continue lendo este artigo!

 

As possibilidades que a Telemedicina oferece

 

Diante da readaptação que as pessoas tiveram que seguir para viver em tempos de coronavírus no mundo, a Telemedicina tem se mostrado bastante eficiente e prática. Esse conceito não surgiu agora, mas que tem ganhado espaço e adeptos com as circunstâncias.

Considerando os elementos medicina + distância, a Telemedicina pode funcionar de várias formas. Atendimentos telefônicos, por vídeo. Atendimentos por plataformas de acompanhamento da saúde do paciente oferecidas por operadoras de saúde, hospitais e convênios médicos.

Ela também vem sendo aplicada por hospitais e instituições de saúde que, na busca da troca de informações, procuram outras instituições de referência para realizar a discussão de casos clínicos e doenças raras. Assim, um intercâmbio se torna possível desta forma. Por meio deste recurso ainda são feitas publicações de artigos científicos e casos clínicos para educação dos profissionais e auxílio do diagnóstico.

A Telemedicina também é bastante aplicada para pacientes com dificuldade de locomoção, sendo bem indicada para pacientes idosos, gestantes de alto risco ou com dificuldades motoras. Ela também é usada para acompanhamento de resultados laboratoriais, promoção da saúde, prevenção de doenças, esclarecimentos e construção de bancos de dados de referência epidemiológica.

 

Além disso, a Telemedicina proporciona:

 

  • Atendimentos completos
  • Ferramentas completas de prescrição
  • Monitoramento seguro e prático dos pacientes
  • Ajustes pontuais dos diagnósticos

 

Telemedicina: 6 benefícios que ela proporciona

 

Não são poucos os benefícios que podem ser reconhecidos com essa prática. Como vantagens do uso da Telemedicina, podemos identificar:

 

Otimização do tempo

É inquestionável que esta é uma das maiores vantagens da telemedicina, poupar tempo. Quando os processos são manuais, eles requerem uma série de colaboradores a fim de solucionar problemas que poderiam ser facilmente resolvidos por meio da automatização.

Procurar por uma ficha ou um exame de determinado paciente, apenas para verificar um detalhe específico, é uma tarefa árdua demais para ser feita sem auxílio tecnológico. O longo prazo requerido à tarefa pode ser crucial para o desfecho do caso, pois, na área da saúde, às vezes minutos custam vidas.

A telemedicina proporciona essa agilidade necessária. Nem sempre uma instituição conta com radiologistas, cardiologistas, neurologistas ou outros especialistas, 24 horas por dia, para laudar exames específicos. Portanto, o laudo à distância contribui, mais uma vez, para melhorar a assistência ao paciente, neste caso, viabilizando tempo para suporte.

 

Agilidade

A Telemedicina promove resultados de forma mais rápida, pois otimiza o tempo de todos os profissionais de saúde. Dessa maneira oferece conforto para os profissionais e torna os processos mais eficientes.

 

Mais segurança

Como a Telemedicina conta com um software médico com certificação de segurança e criptografia de conteúdo, protege o banco de dados que armazenam os exames e laudos virtualmente. Ou seja, todo arquivo gerado é protegido, e somente pessoas autorizadas com validação e identificação têm acesso.

Diferentemente de documentos físicos que podem ser perdidos ou esquecidos, o armazenamento na nuvem diminui drasticamente a perda e dano deles.

 

Maior eficácia nos tratamentos

A agilidade da disponibilização de laudos online geram rapidez tanto para o médico como para o paciente. Pois, no momento em que o paciente recebe o laudo, pode imediatamente marcar a consulta com o médico especialista para o seu tratamento, ao invés de ficar esperando prazos longos para obter o laudo. 

 

Redução de custos

Do ponto de vista econômico, a telemedicina reduz consideravelmente os custos das instituições de saúde, sejam elas clínicas ou hospitais. 

Através de um sistema online, uma clínica não precisa de muito investimento para criar uma infraestrutura para a logística de documentos, e muito menos ter gastos elevados com impressão. Assim, por meio da Telemedicina, os profissionais de saúde têm acesso aos laudos através de computadores, tablets, smartphones para fazer o diagnóstico e atender o paciente.

Com esse sistema não é necessário manter um corpo clínico em tempo integral e a clínica só paga pelos laudos emitidos conforme a demanda de paciente e exames do dia. Neste caso, investir em tecnologia resulta em eficiência e economia de recursos e tempo.

 

Mais qualidade no atendimento

A telemedicina promove o acompanhamento do paciente em tempo integral, garantindo que tudo esteja indo bem, e proporcionando os melhores resultados de atendimento.

 

Como implementar a telemedicina

Diferente do que se possa imaginar, implementar a telemedicina não é um processo complexo e demorado, nem requer um alto investimento. Para começar, a melhor forma é realizar uma autoavaliação e analisar individualmente os componentes da clínica que serão afetados pela transição.

Inicie pelos exames ou especialidades oferecidos regularmente, a infraestrutura e os equipamentos que são necessários para o serviço. Depois, pense em como a mudança vai impactar a rotina de trabalho da sua equipe.

Para ajudar gestores a compreender melhor este processo, elaboramos um Guia de Telemedicina com os primeiros passos para iniciar no atendimento remoto! Veja.

 

Equipamentos e infraestrutura

Para implementar telemedicina é necessário integrar os equipamentos médicos e computadores que realizam os exames ao novo sistema. Grande parte dos equipamentos atuais já possui sistema digital e com conexão à internet, por isso são facilmente interligados à plataforma de laudos online.

Vale destacar que a segurança das informações é um aspecto fundamental do sistema, uma vez que os dados dos exames são compartilhados e armazenados conforme determinado em legislação específica.

 

Treinamento e capacitação da equipe

É necessário que a equipe de profissionais da saúde da clínica esteja preparada para operar o sistema de telemedicina. O principal foco do treinamento deve ser nos protocolos específicos de cada exame e na operação dos equipamentos. A boa realização dos procedimentos irá garantir que as informações e as imagens enviadas sejam de qualidade.

Ao implementar a telemedicina, sua clínica poderá contar com a assistência dos prestadores do serviço de laudos para o uso correto do sistema. Algumas empresas oferecem cursos e capacitações para a melhoria recorrente dos procedimentos, como testes remotos no equipamento para verificação de interferência e até tutoriais de passo a passo do exame em tempo real. 

Além disso, conseguem alertar as clínicas caso determinado exame tenha sido realizado de forma errada, evitando, assim, a necessidade de reconvocação do paciente.

 

Padronização do laudo e entrega aos pacientes

Após implementar telemedicina, sua clínica estará entregando um serviço mais completo, ágil e preciso aos pacientes. Os laudos online são padronizados conforme as especificações nacionais.

 

Exames que podem ser laudados via telemedicina

 

A telemedicina já pode ser aplicada às principais especialidades médicas, atendendo a  diferentes demandas dos profissionais da saúde. Se a sua clínica oferece algum dos exames abaixo, considere optar pela solução de laudos à distância. Confira as especialidades:

 

  • Eletrocardiograma (ECG);
  • Eletroencefalograma (EEG);
  • Espirometria;
  • Raio-X;
  • Mamografia;
  • Acuidade visual;
  • Ressonância magnética;
  • Tomografia.

 

Como a Telemedicina influência na relação com o paciente?

 

A telemedicina atua superando os limites e aproximando o paciente do suporte necessário. A troca de informações entre profissionais aumenta, ainda, a qualidade do serviço, indo além de apenas oferecer recursos, mas fazendo isso de forma altamente qualificada.

Contar com profissionais especializados 24h por dia, 7 dias da semana ainda não é uma realidade no país. Porém, já é um grande passo levar assistência com colaboradores bem capacitados a regiões que antes não podiam contar com praticamente ninguém.

Além de poupar o deslocamento do paciente, que pode inclusive estar impedido por questões físicas e financeiras, a telemedicina garante um suporte médico que direciona para diagnósticos mais precisos e tratamentos mais bem estabelecidos, melhorando a experiência e a saúde do paciente.

 

 

Agora que você compreendeu melhor as vantagens que a Telemedicina proporciona, que tal investir nesse modelo inovador, mais acessível, democrático e menos custoso?

Comentários