Brain4care: Método não invasivo mede pressão intracraniana

07/12/2020

A Brain4care, startup brasileira, desenvolveu o primeiro método no mundo totalmente não invasivo capaz de monitorar a complacência cerebral, que é a capacidade do cérebro de manter a sua pressão estável.

 

Antes, só era possível medir a Pressão Intracraniana (PIC) fazendo um pequeno furo no crânio, método que não é aplicável a todos os pacientes. Com o dispositivo da startup, o monitoramento é realizado sem dor, com menos risco para o paciente e os resultados demoram entre 15 e 20 minutos. A descoberta permite identificar ou confirmar algumas doenças antes mesmo que os sintomas se manifestem e acompanhar a evolução do paciente ao longo do tratamento.

 

Como o Brain4care funciona?

 

A solução, certificada pela Anvisa, no Brasil, e liberada pelo Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos, consiste em um sensor externo encostado na cabeça do paciente, que é capaz de captar alterações e condições que antes somente poderiam ser coletadas por meio de um cateter inserido cirurgicamente no cérebro do paciente. 

 

Com o método Brain4care, as informações são coletadas pelo sensor não invasivo posicionado na cabeça do paciente, que envia os sinais via bluetooth para um tablet ou celular Android. As curvas são exibidas em tempo real na tela por meio de um aplicativo e as informações do paciente são enviadas para uma plataforma em nuvem. Pelo próprio aplicativo ou site, também é possível emitir relatórios em arquivos PDF que podem ser abertos e impressos. 

 

Com o uso dessa nova tecnologia as equipes que atuam em contato com os pacientes 24 horas por dia, terão uma nova ferramenta para identificar quando os pacientes entram em risco neurológico, acionando os médicos especialistas com mais antecipação e pertinência, podendo evitar agravamentos, sequelas e mortes. Toda a solução de tecnologia da informação da Brain4care segue o padrão norte-americano de segurança estabelecido pelo Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPPA).

 

Quebra de paradigma na medicina

 

O desenvolvimento do método inovador da Brain4care foi possível graças aos estudos do Professor Sérgio Mascarenhas de Oliveira, físico e químico brasileiro reconhecido por sua atuação em ciência e educação. Diagnosticado em 2005, aos 77 anos, com hidrocefalia, Mascarenhas fez uma cirurgia para implantar uma válvula que drena o excesso de líquido e retornou à sua vida normal. Movido pelo inconformismo com os procedimentos invasivos, realizou experimentos que provaram que o crânio é expansível e que suas deformações podem ser captadas por fora. O resultado derrubou um dos pilares da Doutrina de Monro-Kellie, estabelecida há 200 anos. A partir de sua descoberta, Mascarenhas desenvolveu o método Brain4care. A monitorização não invasiva por meio de um sensor auxilia na identificação de alterações da PIC e da complacência cerebral, exibidas no gráfico da morfologia, em tempo real.

Apesar de ter sido criada no Brasil, a empresa começou suas operações nos EUA. Vários estudos já comprovaram sua eficácia e instituições de saúde renomadas estão utilizando o método, como o Hospital Sírio-Libânes. Quer conhecer tudo sobre o Brain4care? Acesse o site e confira.

 

Comentários

Dicas para médicos

Assuntos que fazem a diferença no seu dia a dia