Hubs de inovação no mercado brasileiro

21/12/2020

Se você está por dentro do universo da inovação, provavelmente já ouviu falar nos hubs de inovação. A capacidade de se reinventar e de gerar soluções inovadoras é hoje mandatória para as grandes empresas. Ela está correlacionada com a sobrevivência e crescimento em um ambiente de negócios tão competitivo e cheio de mudanças como o de hoje.

 

Como resultado disso, é crescente o número de empresas que investem em inovação aberta, combinando intencionalmente recursos próprios com aqueles oferecidos por parceiros externos. Além dos mecanismos de inovação aberta mais conhecidos, uma tendência que tem ganhado força entre as grandes corporações no Brasil, é a participação de hubs de inovação.

 

O que são hubs de inovação e como funcionam

 

Hubs de inovação consistem em espaços físicos nos quais empresas jovens, as famosas startups, podem colocar em prática as suas ideias inovadoras. Lá, esses empreendedores, que costumam estar no início da carreira e muitas vezes não contam com recursos abundantes, têm acesso a um espaço para trabalhar, conhecer outros negócios, obter investimentos e fazer parcerias com grandes empresas.

 

Enquanto trabalham nos hubs de inovação, as startups têm a oportunidade de serem vistas. Isso porque, por lá, passam investidores e grandes empresas, interessados em descobrir novos negócios, seja para investir em uma ideia rentável ou para resolver problemas internos que possuam. Além disso, universidades, órgãos de fomento e outros interessados também podem estar presentes.

 

Outro ponto positivo dos hubs de inovação é o networking: dessa forma, as startups não ficam fechadas em suas ideias. Podem trabalhar de maneira colaborativa, inspirar-se em outras ideias, fazer parcerias.

 

O resultado é um espaço de troca, aprendizado e fomento da cultura do empreendedorismo. Pode-se dizer que, nos hubs de inovação, é comum a prática da inovação aberta (open innovation), que ocorre quando quando negócios colaboram entre si para criar produtos e serviços inovadores.

 

Alguns hubs de inovação começam funcionando como uma feira de inovação, que não requer espaço físico. Por falar nisso, mais do que um espaço, é importante que o hub foque na criação de conexões, tanto das startups umas com as outras quanto com as empresas, universidades e investidores.

 

3 hubs de inovação que você precisa conhecer

 

Distrito InovaHC

 

O Distrito InovaHC é um projeto conjunto com o maior hospital da América Latina, o Hospital das Clínicas, proporcionando o ambiente ideal para criação, validação de novas tecnologias, produtos e serviços. 

O Distrito é um hub de inovação com o objetivo de reunir as melhores cabeças, produtos e tecnologias para criar, testar e expor soluções de saúde que irão impactar a realidade das pessoas e empresas em um futuro próximo. O intuito do hub é reunir todo o ecossistema do setor, como, por exemplo, startups, corporações, investidores e universidades com objetivo de criar, desenvolver e expor tecnologias e soluções que transformem o mercado de saúde. Inclusive, trata-se do hub onde a MedSimples é residente.

 

Fleury LAB

 

O Fleury Lab, reúne espaços físicos e virtuais para o desenvolvimento, promoção e troca de inovação e conhecimento em saúde. O Lab é um guia para busca constante por soluções inovadoras e integradas com excelência e sustentabilidade para o setor.

O propósito é aliar a tecnologia e o cuidado humano em prol da criação de um ecossistema de entusiastas da tecnologia, profissionais de saúde, empreendedores, acadêmicos e parceiros que compartilham de uma mesma visão otimista do amanhã e do universo científico.

 

Cubo

Você que é fissurado por inovação, tecnologia e empreendedorismo precisa conhecer o Cubo. O Cubo é maior centro de empreendedorismo tecnológico da América Latina. O espaço foi idealizado pelo banco ITAÚ, em parceria com a Redpoint Ventures.

O Cubo recebe, em média, 2 mil pessoas por dia. São cerca de 1.200 funcionários de diversas startups, como a Qulture Rocks, que fala de cultura organizacional, e a Kenoby, de recrutamento inteligente. O restante do público é de visitantes.

A infraestrutura do Cubo conta com um piso duplo dedicado a eventos. O auditório tem capacidade para receber 380 pessoas, e além disso, há salas compartilhadas que podem hospedar de 40 a 120 pessoas. O Cubo está localizado na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo, possui 14 andares com área total de 20 mil m².

É um lugar que inspira as pessoas desde a chegada ao prédio, que por sua vez segue a tendência das startups do Vale do Silício.

 

E a sua empresa? Já pensou em criar seu próprio hub de inovação ou em se tornar parceira de alguma iniciativa já existente? Tem outras experiências de inovação aberta? Compartilhe conosco!

 

Comentários

Dicas para médicos

Assuntos que fazem a diferença no seu dia a dia