Gestão financeira para médicos: 8 respostas de perguntas frequentes

Gestão financeira para médicos: 8 respostas de perguntas frequentes

Neste conteúdo iremos responder algumas perguntas sobre a gestão financeira para médicos e auxiliar esses profissionais quanto à gestão de suas carreiras. Confira!

 

Sabemos que as finanças são responsáveis pela vida de diversos negócios, independente do segmento a qual eles pertencem. Assim, contar com uma excelente gestão financeira é essencial para que uma empresa funcione corretamente e, também, esteja apta para superar todos e quaisquer problemas e desafios que possam surgir. 

 

E quando se trata da área da saúde, os propósitos financeiros também devem ser estabelecidos para que dessa forma o negócio também seja bem sucedido em todos os âmbitos. Afinal, além de ser um ótimo profissional e cuidar bem dos pacientes, é fundamental saber gerenciar suas finanças.

 

 

  • Por que a preocupação com a gestão financeira é tão importante para a carreira médica? A gestão financeira para médicos permite que os profissionais dessa área consigam gerenciar, de maneira eficiente, todos os aspectos relacionados às suas finanças ou negócios. Além disso, quando o dinheiro aumenta e trabalha ao seu favor, você pode se dedicar a outros investimentos, como, cursos e aprimoramentos em geral. 

 

  • Recém-formados: como lidar com as dívidas da faculdade de medicina? Levando em consideração os juros elevados cobrados pelos bancos e instituições, a melhor alternativa é optar pela negociação. É claro que os parcelamentos têm suas vantagens e em algumas situações, são inevitáveis. Porém, o mais indicado para ter as finanças saudáveis é deixá-los para quando forem exatamente isso: inevitáveis. 

 

  • Como planejar a vida financeira a partir da entrada na residência médica? Não existe uma fórmula milagrosa. Uma alternativa eficaz é se organizar e economizar.

 

  • Existe alguma solução digital para ajudar o médico na gestão de sua carreira e finanças? A MedSimples surgiu com o propósito de simplificar a vida de quem se importa e cuida da saúde das pessoas, pois acredita que nem tudo precisa ser complexo, e que há como eliminar as burocracias da gestão financeira para médicos. Pensando nisso, oferece diversas ferramentas para que a sua carreira esteja sempre bem estruturada financeiramente, como o gestor de plantões, que auxilia o profissional a encontrar trabalho em diversos hospitais em sua especialidade, através da tecnologia. Bem como, é capaz de gerir a vida financeira de forma prática e sem inúmeros processos.

 

  • Quais são as vantagens da Sociedade Limitada Unipessoal? A Sociedade Limitada Unipessoal é um modelo jurídico individual, caracterizada pela responsabilidade limitada que é atribuída ao único sócio proprietário, ou seja, o profissional que é responsável pela empresa não tem os seus bens pessoais entrelaçados com débitos do seu negócio.

 

Um dos grandes benefícios que esse estilo de PJ proporciona é a possibilidade de poder abrir o seu consultório sem sócios e ter seu patrimônio particular protegido. Como se trata de um empresa Limitada (LTDA), que não envolve sócios, dispensa o capital mínimo de 10 salários mínimos, como é no caso da Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI).

 

Esse formato traz várias facilidades como um valor acessível de abertura, ou seja, você não precisará mais integralizar valores altos na abertura do seu consultório, pois não existe nenhum valor de capital social mínimo e mesmo assim a proteção ao patrimônio pessoal individual é estabelecida.

 

  • Por que um médico deve abrir uma empresa? A gestão financeira para médicos visa reduzir o valor dos pagamentos gastos em impostos, proporcionar maior controle sobre a sua contabilidade, acesso ao crédito facilitado, flexibilidade da rotina, aumento no faturamento, e claro, ampliar as oportunidades no mercado de trabalho.

 

 

Gostou das nossas dicas? Interaja conosco e deixe seu feedback!

Médico autônomo: empreenda e abra uma empresa em 6 passos simples

Médico autônomo: empreenda e abra uma empresa em 6 passos simples

Já pensou em se tornar um médico autônomo? Neste conteúdo que preparamos iremos mostrar alguns benefícios de trabalhar como Pessoa Jurídica (PJ) e quais são os passos necessários para isso. Acompanhe!

 

Normalmente quando falamos em empreender e atuar de forma autônoma, muitos profissionais ficam receosos e inseguros por acreditarem que essa tarefa demanda inúmeras burocracias. Entretanto, atualmente é cada vez mais comum nos depararmos com médicos que optaram por aderir ao modelo de trabalho PJ, onde uma empresa, ou seja, um CNPJ em seu nome é criado sem que haja a necessidade de se ter sócios.

 

Essa modalidade tem sido vista como uma forma de reduzir o valor dos pagamentos gastos em impostos, ter maior controle sobre a sua contabilidade, acesso ao crédito facilitado, flexibilidade da rotina, aumento no faturamento, e claro, ampliar as oportunidades no mercado de trabalho.

 

Continue a leitura e fique por dentro do passo a passo que preparamos para ajudar você a se tornar um médico autônomo de forma simples e ágil.

 

Abra a sua empresa, sem precisar abandonar seus compromissos profissionais

 

A MedSimples sabe que ter o seu próprio CNPJ apresenta muitas vantagens, mas entende também que a rotina de um médico é intensa, exaustiva e todo o tempo que se tem jamais pode ser desperdiçado. Por isso, para incentivar e auxiliar você a se tornar um médico autônomo, desenvolvemos a PJtize.me. 

 

Enquanto você salva vidas, a PJtize.me:

 

  • Proporciona soluções completas de apoio administrativo, exclusivo para os

profissionais de saúde;

 

  • Disponibiliza um atendimento personalizado, com uma equipe de

especialistas prontos para resolver seus problemas e esclarecer dúvidas;

 

  • Reduz em até 60% a carga tributária sobre o seu faturamento;

 

  • Além disso, os agentes PJtize.me ficam responsáveis por retirar documentos, colher assinaturas e realizar todos os processos. Em 10 dias úteis, no máximo, todas as etapas para a abertura da sua empresa estarão completas.

 

Passo 1: Você acessa o site PJtize.me e se informa ainda melhor sobre os serviços;

 

Passo 2: Conheça os planos PJtize.me

 

Passo 3: Clique em “ABRIR EMPRESA”

 

Passo 4: Autorize a abertura da empresa e cadastre a documentação

 

Passo 5: Assine os documentos

 

Passo 6: Pronto, agora é só esperar o registro na entidade de classe e a emissão do seu certificado.

Viu como com a PJtize.ME é prático e descomplicado se tornar um médico autônomo?

Leia também o nosso artigo sobre CNPJ ou PF na carreira: qual a melhor escolha!

7 dicas para se tornar um gestor hospitalar excelente e diferenciado

7 dicas para se tornar um gestor hospitalar excelente e diferenciado

No post de hoje separamos dicas eficientes sobre o trabalho do gestor hospitalar e apontamos um caminho para que você melhore os processos em sua área. Confira!

 

Ser um bom gestor hospitalar não é uma atividade simples, afinal, requer uma série de habilidades e competências, especialmente no que diz respeito à organização, planejamento, entre outros. São inúmeros os desafios aos quais esses profissionais precisam lidar diariamente. Um deles é o avanço das tecnologias, que exige aprendizados e atualizações constantes. Além disso, é preciso muito discernimento e jogo de cintura para driblar todos os imprevistos que surgem na rotina de uma clínica ou um hospital e precisam ser resolvidos imediatamente. Mas, como efetivamente ser um bom gestor hospitalar?

 

Ser um bom gestor hospitalar não significa somente solucionar problemas administrativos, é ainda mais abrangente, pois envolve também o bem estar e a qualidade de vida dos pacientes.

 

Pensando nisso, listamos algumas dicas essenciais para você que deseja se tornar um gestor hospitalar ainda mais qualificado, diferenciado e bem sucedido. Acompanhe!

 

 

Quais são os principais desafios de um gestor hospitalar?

 

É fundamental que um gestor hospitalar domine todos os processos que envolvem o gerenciamento das instituições e estabelecimentos e seja o responsável pelas decisões. Dessa forma, fica visível as complexidades e peculiaridades deste trabalho.

 

Logo, o intuito maior consiste em superar as dificuldades do cotidiano sem deixar de lado os objetivos a serem alcançados. Confira os maiores desafios enfrentados por um gestor hospitalar!

 

  • A necessidade de investir em tecnologias com o propósito de garantir o atendimento de excelência, e assim, possibilitar a integração entre os departamentos;

 

  • A padronização da comunicação entre as lideranças e os demais profissionais para que os procedimentos sejam executados de modo padronizado e consequentemente seguro;

 

  • Controle dos gastos para evitar despesas desnecessárias coibindo o desperdício e o mau uso dos recursos;

 

  • Medidas para evitar as infecções dentro do hospital através da educação dos colaboradores, incutindo neles a relevância de seguir boas práticas, visando a saúde e segurança de todos.

 

7 dicas para ser um excelente gestor hospitalar

 

Incentive a excelência no atendimento

 

Lembre-se sempre: cada vez mais as pessoas e instituições têm valorizado a humanização dos serviços e atendimentos, afinal, cada pessoa é única e deseja se sentir assim.

 

Seja analítico

 

Possuir um perfil analítico é primordial para ser um excelente gestor hospitalar, pois é de extrema importância que este profissional esteja apto para analisar todos os dados e consequentemente utilizá-los de forma adequada para sugerir soluções e embasar suas decisões.

 

Esteja sempre atualizado e em constante evolução

 

A área da saúde está em constante transformação. A cada dia, novas técnicas e metodologias surgem no mercado e o gestor hospitalar precisa estar sempre atento e atualizado em relação a essas transformações.

 

Nesse sentido, procure investir em cursos nas áreas de gestão, finanças e administração, focados em serviços de saúde. Assim, você estará mais preparado para lidar com as especificidades desse mercado.

 

Seja organizado

 

A organização deve ser uma prática não apenas do gestor hospitalar, mas de todos os profissionais. É essa atitude que possibilita que as tarefas sejam sempre realizadas com qualidade e segurança, evitando que haja negligências.

 

Valorize a flexibilidade e empatia

 

Um gestor hospitalar que consegue ser flexível e busca solucionar os transtornos se colocando no lugar do outro tem mais facilidade para compreender as necessidades e demandas dos usuários e, assim, propor as melhores soluções. Bem como, consegue manter seus colaboradores sempre integrados e dispostos a ajudarem uns aos outros.

 

Fique de olho nos indicadores de desempenho

 

Essas ferramentas são importantíssimas para medir, acompanhar e avaliar a performance de determinados processos. Nas instituições de saúde, elas colaboram para o monitoramento das metas e para auxiliar o gestor hospitalar nas tomadas de decisão.

 

Invista em tecnologia

 

Investir em tecnologia é um dos segredos que faz com que todas as demais tarefas citadas se tornem mais fáceis e rápidas de serem realizadas. Um gestor hospitalar que conta com os softwares certos não apenas facilita os processos da rotina dele, como de todos que o cercam. Os recursos tecnológicos simplificam e agilizam processos, possibilitam avaliações precisas, ajudam a entender os anseios e o perfil dos pacientes, entre outros diversos benefícios. 

 

Em uma época cada vez mais tecnológica, no qual as informações chegam até nós em tempo real e por meio dos mais diversos recursos de comunicação, tornou-se inviável realizar a gestão hospitalar sem o auxílio de uma ferramenta digital. 

 

Por isso, pensando em simplificar a sua rotina de gestão hospitalar, deixando-a organizada e descomplicada, a MedSimples desenvolveu um Gestor de Plantões que oferece inúmeros benefícios. Leia o texto Gestão Hospitalar: conheça uma ferramenta para torná-la mais eficiente e entenda como ela funciona.

 

Para facilitar a rotina do gestor hospitalar, deixando-a organizada e descomplicada, escolha a tecnologia MedSimples e conte com um sistema completo. Acesse nosso site e saiba tudo sobre o Gestor de Plantões!

Escala médica: Como organizá-la de forma prática, ágil e eficaz

Escala médica: Como organizá-la de forma prática, ágil e eficaz

A escala médica pode ser uma pedra no sapato para os gestores, por se tratar de uma tarefa complexa. São muitos profissionais, com jornadas e especialidades diferentes. Além de todas as questões ligadas à performance dos colaboradores, há ainda exigências legais que devem ser rigorosamente seguidas, as quais podem, por vezes, não serem atendidas por equívocos ou desorganização. Dessa forma, é essencial administrar de maneira assertiva a escala médica.

 

Todavia, nem sempre esta é uma tarefa simples. Existem muitos casos em que a jornada de trabalho possui fatores que complicam o acompanhamento, e, para dificultar, algumas organizações ainda utilizam formas ultrapassadas de gestão.

 

Mas, como fazer então uma escala médica que seja realmente eficaz? A resposta está na gestão de plantões. Siga a leitura e confira as dicas que separamos sobre o tema!

 

Escala médica: 5 dicas para otimizar essa tarefa

 

 

1] Conheça as exigências legais

 

Esse é o ponto de partida para quem deseja organização e sucesso em uma escala médica. É primordial que o profissional de Recursos Humanos (RH) conheça a fundo a legislação específica sobre a jornada de trabalho destes profissionais.

 

 

2] Esteja ciente quanto às necessidades da empresa

 

Além da legislação vigente, é imprescindível conhecer todas as necessidades do negócio. Afinal, qual é a jornada realizada hoje? Ela atende os objetivos globais da empresa? Muitos aspectos devem ser levados em consideração para uma escala médica que atenda às partes.

 

 

3] Respeite os períodos de descanso

 

Pausas, folgas e férias não devem nem podem ser ignoradas. Não somente para estar em conformidade com a legislação, mas, especialmente,  para que os colaboradores se sintam respeitados.

 

 

4] Comunique as informações

 

Insira os colaboradores no processo e mantenha-os informados sobre suas escalas. Sendo assim, use os canais de comunicação para esclarecer dúvidas e evitar descontentamentos. O importante é a transparência, sempre!

 

 

5] Invista em um Gestor de Plantões

 

Para uma rotina de gestão organizada e descomplicada na área médica, escolha a tecnologia MedSimples. Através do Gestor de Plantões, corte pela metade as horas gastas em tarefas manuais e reduza custos administrativos, com o suporte de uma equipe especializada em auxiliar nas decisões mais importantes do seu negócio.

 

 

Acesse o nosso site e fique por dentro de tudo que essa ferramenta é capaz de fazer pelo seu negócio! O Gestor de Plantões MedSimples é um sistema completo, rápido e totalmente digital onde sua escala médica é feita em tempo real com cadastro unificado na nuvem.

A relevância da gestão de tempo nas clínicas e hospitais

A relevância da gestão de tempo nas clínicas e hospitais

Sabemos da correria que acontece no dia a dia de trabalho das clínicas e hospitais, especialmente no que diz respeito à gestão de tempo. Pensando nisso, preparamos este conteúdo com algumas ações para que os gestores possam auxiliar os colaboradores a superar este desafio. 

 

Basicamente, a gestão de tempo consiste no processo de distribuição dos horários disponíveis entre todas as demandas que devem ser realizadas nas instituições. É importante salientar que contar com as ferramentas adequadas ajudará a otimizar de forma significativa o expediente e as tarefas rotineiras. Isso ocorre, pois, quando há a automação de atividades repetitivas a equipe consegue destinar mais tempo a tarefas que realmente não podem ser automatizadas. Continue a leitura e descubra como melhorar a gestão de tempo do seu negócio!

 

Quais as vantagens de se fazer uma boa gestão de tempo?

Investir nas mudanças corretas é essencial para que a sua clínica, hospital ou centro médico se torne mais produtivo e eficiente. É importante ter ciência de que o propósito da gestão de tempo é proporcionar um um bom aproveitamento e desempenho em todas as etapas do seu dia. Veja algumas das principais vantagens de fazer uma gestão de tempo adequada:

 

  • Maior produtividade e eficiência
  • Uma melhor reputação profissional
  • Capacidade de realizar objetivos
  • Entregas nos prazos
  • Finalizar projetos que normalmente ficam incompletos
  • Organizar melhor cada setor e as suas atividades
  • Otimizar o seu tempo

 

Como colocar a gestão de tempo em prática?

Agora que ficou claro o que é a gestão de tempo, bem como as suas vantagens para um cotidiano mais eficaz, vamos mostrar como colocá-la em prática. E por mais que essa pareça uma missão difícil, e é, tudo que é preciso é disciplina e muita organização. Confira algumas dicas de como aplicá-la em sua clínica ou hospital.

 

Defina as prioridades

Independente da quantidade de demandas que você precise executar, defina quais são as prioridades. Isso é fundamental para determinar qual deve ser feita primeiro e qual pode ser adiada. Uma excelente maneira de fazer isso é classificando as atividades em categorias como, urgente, intermediário, entre outras.

 

Crie um planejamento 

Essa é a base de tudo, afinal, quando as prioridades são estabelecidas e organizadas, você consegue realizar as tarefas com maior êxito.

 

Conte com a tecnologia

Atualmente, existem diversas ferramentas que visam o auxílio da gestão de tempo e auxiliam no planejamento e execução das atividades, além de sistemas capazes de automatizar os diversos processos de Recursos Humanos (RH). Um deles é o Gestor de Plantões da MedSimples, que tem como objetivo ajudar na rotina da gestão de tempo, deixando-a organizada e descomplicada. Acesse o nosso artigo “Gestão Hospitalar: conheça uma ferramenta para torná-la mais eficiente” e fique por dentro dos benefícios que o Gestor de Plantões oferece. 

 

Gostou das nossas dicas? Não esqueça, ter o auxílio da tecnologia para conseguir se organizar e otimizar as tarefas é uma ótima forma de aprimorar a gestão de tempo, e nós, da MedSimples, temos a solução perfeita para você. 

Gestão de hospital: 3 erros frequentes que você nunca deve cometer

Gestão de hospital: 3 erros frequentes que você nunca deve cometer

A gestão de hospital é um dos processos mais importantes da instituição. Isso ocorre devido ao fato da gestão quando eficiente ser capaz de fazer o hospital atingir suas metas, ampliar a qualidade dos serviços de saúde e, consequentemente, aumentar a sua receita. Entretanto, os benefícios de uma gestão de hospital saudável não param por aí. Quando ela é reconhecidamente satisfatória isso passa a ser um fator preponderante no momento de escolha dos pacientes por uma entidade de saúde. Simultaneamente, constitui também uma vantagem para que o hospital possa negociar acordos de trabalho com os profissionais. Assim, aperfeiçoar, aprimorar e investir na gestão de hospital é o caminho para manter processos operacionais em pleno funcionamento e melhorar o desempenho da instituição. Pensando nisso, listamos os principais erros cometidos na gestão de hospital para que você não os cometa. Acompanhe!

 

NÃO investir em tecnologia

 

Os processos administrativos e de funcionamento de uma clínica ou hospital devem ser de total controle do gestor de hospital. A utilização de tecnologias como a telemedicina, prontuários e laudos eletrônicos podem garantir agilidade e otimização do tempo dos funcionários, aumentar o controle do fluxo de caixa e oferecer serviços com excelência aos pacientes.

 

NÃO automatizar os processos

 

Automatizar os processos pode facilitar ainda mais o tempo e o custo que os profissionais, o hospital ou a clínica terão para acolher a jornada do paciente.

A automação oferece informações e análise de dados simples e complexos de uma forma imediata e facilitada com o uso da tecnologia. Assim, otimiza o tempo na procura de prontuários, agendamentos e encaminhamentos feitos no papel, por exemplo.

Outro aspecto relevante que a automação de processos traz aos hospitais e clínicas é a reestruturação da gestão de hospital na melhoria das atividades dos colaboradores.

 

NÃO aprimorar a gestão de horas extras

 

Desde que a busca por qualidade de vida e uma rotina mais sustentável dentro do ambiente de trabalho se tornou pauta nas empresas, fazer a gestão de horas extras trouxe benefícios ao negócio, seja na formação de uma equipe mais motivada ou no aprimoramento das rotinas de trabalho internas.

 

Um cuidado mais atento com essa questão também fez as empresas se voltarem para o orçamento. Uma gestão de horas extras eficiente também acaba poupando gastos adicionais que oneram a folha salarial.

 

O Gestor de Plantões MedSimples é a solução perfeita

Para simplificar a rotina da gestão de hospital, tornando-a cada vez mais ágil e eficaz, a MedSimples desenvolveu um Gestor de Plantões que oferece diversas vantagens. Acesse o nosso conteúdo “Gestão Hospitalar: conheça uma ferramenta para torná-la mais eficiente” e fique por dentro de tudo que o GP Medsimples pode proporcionar.

 

Entre também no nosso site e conheça todos os serviços que a MedSimples possui. 

Gestão Hospitalar

Gestão Hospitalar: conheça uma ferramenta para torná-la mais eficiente

Sabemos que existem muitas tarefas complexas no universo da saúde, e podemos afirmar que a gestão hospitalar é uma delas. Afinal, se refere a capacidade de equacionar recursos da melhor forma, com o intuito de garantir o funcionamento saudável da instituição, com uma prestação de serviço que prima pela excelência.

Desse modo, tão essencial quanto contar com uma equipe de funcionários competentes para fazer o atendimento dos pacientes é possuir profissionais e ferramentas competentes para organizar todo o funcionamento do hospital. E a gestão hospitalar, e o papel do gestor hospitalar, portanto, envolve isso.

 

A gestão hospitalar, é, portanto, uma atividade desafiadora, visto que lida com a fragilidade e a vulnerabilidade das pessoas, que aguardam e anseiam por um trabalho sério, responsável e comprometido em momentos delicados de suas vidas. Assim, atuar na saúde é entender a engrenagem desta cadeia em que o centro são as pessoas. 

 

Aliás, engrenagem essa onde pessoas cuidam de pessoas, por isso a necessidade de compreender o todo e desenvolver nas equipes as competências que permitam maior agilidade e eficácia dos hospitais e atendimentos da área da saúde. É preciso otimizar recursos, ouvir os envolvidos, e, sobretudo, ter firmado o compromisso de cuidar, para uma gestão hospitalar de sucesso.

Como o Gestor de Plantões pode auxiliar na gestão hospitalar

 

Em uma época cada vez mais tecnológica, no qual as informações chegam até nós em tempo real e por meio dos mais diversos recursos de comunicação, tornou-se inviável realizar a gestão hospitalar sem o auxílio de uma ferramenta digital. A própria configuração atual da sociedade já não permite mais os métodos tradicionais que continham papéis e planilhas, e que, além de ter se tornado obsoleto, compromete todo o manejo profissional.

 

Por isso, pensando em simplificar a sua rotina de gestão hospitalar, deixando-a organizada e descomplicada, a MedSimples desenvolveu um Gestor de Plantões que oferece inúmeros benefícios.

 

Veja alguns:

 

  • Conta com um antecipador de recebíveis e um sistema completo de repasse de honorários;

 

  • Reduz pela metade as horas gastas em tarefas manuais e diminui custos administrativos, com o suporte de uma equipe especializada em auxiliar nas decisões mais importantes do seu negócio;

 

  • Realiza a montagem de escalas em tempo real;

 

  • Possui cadastro unificado na nuvem;

 

  • Exibe alertas de plantões em aberto;

 

  • O sistema de repasses é todo integrado, entre outros.

 

Que tal acessar o nosso site e conhecer ainda mais essa ferramenta capaz de revolucionar a sua gestão hospitalar? O Gestor de Plantões MedSimples é um sistema completo, rápido e totalmente digital!

 

 

Hubs de inovação

Hubs de inovação no mercado brasileiro

Se você está por dentro do universo da inovação, provavelmente já ouviu falar nos hubs de inovação. A capacidade de se reinventar e de gerar soluções inovadoras é hoje mandatória para as grandes empresas. Ela está correlacionada com a sobrevivência e crescimento em um ambiente de negócios tão competitivo e cheio de mudanças como o de hoje.

 

Como resultado disso, é crescente o número de empresas que investem em inovação aberta, combinando intencionalmente recursos próprios com aqueles oferecidos por parceiros externos. Além dos mecanismos de inovação aberta mais conhecidos, uma tendência que tem ganhado força entre as grandes corporações no Brasil, é a participação de hubs de inovação.

 

O que são hubs de inovação e como funcionam

 

Hubs de inovação consistem em espaços físicos nos quais empresas jovens, as famosas startups, podem colocar em prática as suas ideias inovadoras. Lá, esses empreendedores, que costumam estar no início da carreira e muitas vezes não contam com recursos abundantes, têm acesso a um espaço para trabalhar, conhecer outros negócios, obter investimentos e fazer parcerias com grandes empresas.

 

Enquanto trabalham nos hubs de inovação, as startups têm a oportunidade de serem vistas. Isso porque, por lá, passam investidores e grandes empresas, interessados em descobrir novos negócios, seja para investir em uma ideia rentável ou para resolver problemas internos que possuam. Além disso, universidades, órgãos de fomento e outros interessados também podem estar presentes.

 

Outro ponto positivo dos hubs de inovação é o networking: dessa forma, as startups não ficam fechadas em suas ideias. Podem trabalhar de maneira colaborativa, inspirar-se em outras ideias, fazer parcerias.

 

O resultado é um espaço de troca, aprendizado e fomento da cultura do empreendedorismo. Pode-se dizer que, nos hubs de inovação, é comum a prática da inovação aberta (open innovation), que ocorre quando quando negócios colaboram entre si para criar produtos e serviços inovadores.

 

Alguns hubs de inovação começam funcionando como uma feira de inovação, que não requer espaço físico. Por falar nisso, mais do que um espaço, é importante que o hub foque na criação de conexões, tanto das startups umas com as outras quanto com as empresas, universidades e investidores.

 

3 hubs de inovação que você precisa conhecer

 

Distrito InovaHC

 

O Distrito InovaHC é um projeto conjunto com o maior hospital da América Latina, o Hospital das Clínicas, proporcionando o ambiente ideal para criação, validação de novas tecnologias, produtos e serviços. 

O Distrito é um hub de inovação com o objetivo de reunir as melhores cabeças, produtos e tecnologias para criar, testar e expor soluções de saúde que irão impactar a realidade das pessoas e empresas em um futuro próximo. O intuito do hub é reunir todo o ecossistema do setor, como, por exemplo, startups, corporações, investidores e universidades com objetivo de criar, desenvolver e expor tecnologias e soluções que transformem o mercado de saúde. Inclusive, trata-se do hub onde a MedSimples é residente.

 

Fleury LAB

 

O Fleury Lab, reúne espaços físicos e virtuais para o desenvolvimento, promoção e troca de inovação e conhecimento em saúde. O Lab é um guia para busca constante por soluções inovadoras e integradas com excelência e sustentabilidade para o setor.

O propósito é aliar a tecnologia e o cuidado humano em prol da criação de um ecossistema de entusiastas da tecnologia, profissionais de saúde, empreendedores, acadêmicos e parceiros que compartilham de uma mesma visão otimista do amanhã e do universo científico.

 

Cubo

Você que é fissurado por inovação, tecnologia e empreendedorismo precisa conhecer o Cubo. O Cubo é maior centro de empreendedorismo tecnológico da América Latina. O espaço foi idealizado pelo banco ITAÚ, em parceria com a Redpoint Ventures.

O Cubo recebe, em média, 2 mil pessoas por dia. São cerca de 1.200 funcionários de diversas startups, como a Qulture Rocks, que fala de cultura organizacional, e a Kenoby, de recrutamento inteligente. O restante do público é de visitantes.

A infraestrutura do Cubo conta com um piso duplo dedicado a eventos. O auditório tem capacidade para receber 380 pessoas, e além disso, há salas compartilhadas que podem hospedar de 40 a 120 pessoas. O Cubo está localizado na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo, possui 14 andares com área total de 20 mil m².

É um lugar que inspira as pessoas desde a chegada ao prédio, que por sua vez segue a tendência das startups do Vale do Silício.

 

E a sua empresa? Já pensou em criar seu próprio hub de inovação ou em se tornar parceira de alguma iniciativa já existente? Tem outras experiências de inovação aberta? Compartilhe conosco!

 

Inteligência artificial

Inteligência artificial: Os benefícios que proporciona ao atendimento médico

A inteligência artificial (IA) é uma área de pesquisa da ciência da computação que busca, através de símbolos computacionais, gerar mecanismos e/ou dispositivos que consigam basicamente reproduzir a capacidade do ser humano de pensar e resolver problemas.

 

Obviamente, não demoraria muito para que essa tecnologia compreendesse a saúde e suas pesquisas intermináveis. Os médicos foram cativados pela inteligência e capacidade dos computadores que processam um número grande de informações. Isso sem contar a influência positiva que a IA oferece na medicina como a obtenção de diagnósticos entre outros.

 

A semelhança à racionalidade humana que a IA pretende alcançar no campo da medicina visa ajudar a encontrar respostas mais flexíveis e precisas para melhores diagnósticos.

Diante disso, foi criado o termo IAM (Inteligência Artificial em Medicina) para unir os profissionais da área da saúde e cientistas.

 

Benefícios trazidos pela Inteligência Artificial na Medicina

Existem diversos benefícios que a IA pode proporcionar ao atendimento médico. Os principais são:

 

Lembretes e alertas: o profissional de saúde pode receber, através de um sistema computadorizado, notificações em tempo real sobre o estado do paciente;

 

Armazenamento de dados: o sistema pode armazenar dados importantes de pacientes e laudos de uma forma segura, facilitando a visualização de clínicos. Para evitar a invasão de hackers, é utilizado a criptografia;

 

Auxílio no diagnóstico de doenças: é possível relacionar o histórico de dados e diferentes sintomas do paciente para indicar possíveis doenças, presentes ou futuras;

 

Sequenciamento de genes: o sistema de sequenciamento tem como objetivo auxiliar oncologistas no diagnóstico e tratamento de câncer;

 

Interpretação de imagens: mais agilidade em interpretar exames ou identificar anormalidades em imagens médicas, como radiografias, tomografias e ressonâncias magnéticas;

 

Auxílio na Telemedicina: A telemedicina utiliza de tecnologias da informação e telecomunicações para o fornecer, à distância, informações e atenção médica à pacientes e profissionais de saúde.

 

Desafios e cenário no Brasil

 

Um desafio dos desenvolvedores de inteligência artificial está em caracterizar corretamente os pontos da medicina que mais precisam destes sistemas.

 

No Brasil, podemos encontrar programas baseados na inteligência artificial em algumas instituições como o Hospital Israelita Albert Einstein, onde há aparelhos de imagem capazes de apontar possíveis doenças e notificar o médico automaticamente.

 

Quando se fala em inteligência artificial aplicada à saúde, especialmente na medicina diagnóstica, as perspectivas são encantadoras. Contar com máquinas que aprendem com os erros e passam a trabalhar cada vez melhor dia após dia gera a expectativa de uma evolução histórica na área. 

 

Gostou do conteúdo? Interaja conosco e deixe seu feedback.

 

Exposição nas redes sociais

Exposição nas redes sociais: como manter o equilíbrio e a ética

Na área da saúde, é preciso ter cuidado quando o assunto é a exposição nas redes sociais. É necessário trabalhar as ações de forma a não prejudicar a credibilidade e imagem profissional. Quando feitas de modo adequado, podem trazer a perspectiva de ótimos resultados. Porém, deve sempre manter um posicionamento correto perante ao meio no qual se insere o profissional em questão. 

As novas formas de comunicação e os avanços tecnológicos estão ocupando um importante espaço no exercício da medicina, auxiliando em pesquisas e na própria construção do saber profissional. A internet, por exemplo, vem evoluindo de forma exponencial. E nos beneficiamos muito com o que ela oferece. Mas, você sabe utilizar as facilidades tecnológicas a seu favor? Ou melhor, você sabe utilizá-las e ainda ter cautela para andar dentro das diretrizes da ética médica?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Datafolha, a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM), os médicos são os profissionais em que os brasileiros mais confiam, em 2020, com 35% de aprovação no levantamento realizado entre 15 e 30 de maio.

Entretanto, ao mesmo tempo em que as redes sociais facilitam a divulgação do trabalho e dão força à autoridade dos profissionais, a exposição da vida pessoal pode ser interpretada de forma negativa, visto que o médico é tido como um exemplo de ética e bons hábitos na sociedade. Assim, toda essa admiração pode virar armadilha. Primeiro para os pacientes, que, confiam de olhos fechados num médico, e podem ser enganados por uma bio de Instagram bem elaborada. E depois para os próprios médicos, que acabam virando alvo de críticas. 

 

Exposição nas redes sociais: Boas práticas com ética médica

Ao começar a desenvolver ações nas mídias sociais, lembre-se de seguir às seguintes recomendações:

 

Página corporativa ou perfil pessoal

 

Para divulgar sua clínica ou consultório, ou mesmo se quiser manter contato com pacientes, o ideal é ter uma página corporativa, limitada a publicar informações sobre seu funcionamento e serviços. Porém, é preciso estar atento para não ferir as regras do CFM, que vetam autopromoção, consultas, diagnósticos ou prescrições através de aplicativos, bem como a divulgação de métodos ou técnicas não reconhecidos pelo órgão. Assim, você não corre o risco de aborrecer seus amigos com assuntos profissionais nem precisa abrir seu perfil pessoal para pessoas que não são do seu contato íntimo.

 

 

Checar veracidade das informações

 

Independentemente de o perfil ser pessoal ou corporativo, checar se a informação que está compartilhando é verdadeira e ponderar se ela pode ser dita em qualquer ambiente é um bom ponto de partida. Nas redes sociais, publicações inverídicas ou desatualizadas se alastram facilmente, e postar uma informação errônea pode minar sua credibilidade.

 

 

Caráter social

 

Enquanto a publicação de imagens ou detalhes de atendimentos e procedimentos, inclusive o parto, não é permitida, divulgar e denunciar más condições de trabalho está liberado. Compartilhar flagrantes de falta de estrutura e situações insalubres demonstra a preocupação do médico com seu trabalho, a qualidade do atendimento e seus pacientes.

 

 

Cuidado com o compartilhamento público

 

Reserve suas opiniões e experiências particulares para suas páginas pessoais e certifique-se das suas opções de compartilhamento para esses conteúdos. Pontos de vista sobre cultura, esporte, política e, especialmente, procedimentos e condutas médicos não precisam ser postados abertamente. É possível compartilhar estes comentários apenas com as pessoas de seu círculo de amigos e familiares, com quem tenha mais liberdade de diálogo, evitando situações de desconforto ou constrangimento com um paciente ou mesmo um colega com opiniões divergentes.

 

 

Evite pessoas de fora do círculo de amizades

 

Caso seja adicionado por pacientes ou colegas com os quais não tenha muita intimidade, convide-os a adicionar sua página profissional, caso tenha uma. Quanto mais pessoas seguem sua rede social, com mais culturas e formações diferentes é preciso lidar – e respeitar. Além disso, não condiz à relação profissional permitir acesso a conteúdos íntimos, como fotos de férias – especialmente em roupa de banho – ou no bar com os amigos. Muito menos fumando. Por mais que o médico seja um ser humano como outro qualquer, os pacientes não querem vê-lo associados a vícios. Frases comemorando a sexta-feira ou a chegada do feriado também podem ser interpretadas com falta de comprometimento com o trabalho. Reserve a amizade virtual a quem é de fato amigo.

 

 

Selfie com pacientes

 

E postar uma foto com o paciente? Não é recomendável, pois pode haver o entendimento de que fere o princípio da confidencialidade, mas não está proibido. Cada caso é um caso. O profissional pode aceitar tirar selfies com pacientes, numa situação banal, que não configure propaganda de seu trabalho, mas a iniciativa não deve partir dele. E lembre-se: para compartilhar é sempre necessária a autorização do paciente, e não pode conter comentários elogiosos a seu trabalho, para não ferir a resolução do CFM.

 

 

Uma dica aos pacientes

 

Você sabe como pesquisar CRM médico? Esse é o registro mais importante de um profissional de medicina. Afinal, somente pode atuar como médico no Brasil quem é cadastrado em um dos Conselhos Regionais de Medicina. Esses órgãos são responsáveis por conferir toda a documentação apresentada pelo profissional, comprovando que ele cumpre os requisitos exigidos por lei.

 

É muito importante ter conhecimento sobre especialidades médicas e as exigências do conselho de ética médica. Afinal, isso vai garantir que você escolha um bom profissional.

 

Para saber se um médico está apto a exercer a profissão, qualquer pessoa pode fazer uma pesquisa no site do Conselho Federal de Medicina ou dos conselhos regionais de medicina (CRMs) de cada Estado (a listagem dos sites está disponível no portal do CFM). Em todos eles há um campo para busca de médicos – é possível procurar pelo CRM (número de registro do profissional no conselho, que consta no carimbo e no receituário do médico), ou apenas pelo nome completo.  A pesquisa indica se o registro está ativo ou inativo e, dependendo do caso, se foi cassado. Quando o registro aparece como inativo, há três possibilidades: ou o médico morreu, ou cancelou seu registro (porque mudou de Estado e não quis mantê-lo em duas localidades, por exemplo), ou sofreu penalidade, ou seja, teve o registro suspenso ou cassado.